domingo, abril 06, 2008 4 Sensações de Mar

Nada...

Nada…

e de repente o vazio.

que desilusão…

o ar enjoa

o Ser Humano enoja-me

e a fúria voa.


Soam compassos

arrastados

em longos murmúrios

de sofreguidão.


Silêncios…

tudo mudo,

quieto…

o mar desnudo

extasia-me de perto.


Eu já não sou eu

e tu já não és tu.


Somos espectros

habitando o invisível…

sim, eu sei…

deixei de ser O Sensível!


Mas que importa?

Agora tudo é vão..

vai..

e deixa-me contemplar

sozinho,

perturbado,

amordaçado,

a plenitudede uma solidão.


 
;