quinta-feira, agosto 31, 2006 3 Sensações de Mar

Finalmente...

Não posso mais adiar...

Perderia o rumo à minha vida e mais tarde o arrependimento seria dolorosamente penoso!


No próximo fim de semana vou começar a escrever o meu livro...



quarta-feira, agosto 30, 2006 1 Sensações de Mar

GRUTA DE CORAIS

Se perguntares ao mar por mim, ele irá responder que o seu viajante se encontra na mais funda gruta de corais…

então, irás ver-me na companhia da bonita Sereia, rodopiando por entre Peixes Palhaço e criaturas marinhas encantadas...



terça-feira, agosto 29, 2006 3 Sensações de Mar

Uma Música

Hoje apetece-me colocar uma das minhas músicas preferidas. "Mummer´s Dance" na voz extraordinária de Loreena Mckennitt.

Loreena McKennitt - The mummers' dance

When in the springtime of the year
When the trees are crowned with leaves

When the ash and oak, and the birch and yew

Are dressed in ribbons fair

When owls call the breathless moon
In the blue veil of the night
The shadows of the trees appear
Amidst the lantern light

Chorus:
We've been rambling all the night
And some time of this day
Now returning back again
We bring a garland gay

Who will go down to those shady groves
And summon the shadows there
And tie a ribbon on those sheltering arms
In the springtime of the year

The songs of birds seem to fill the wood
That when the fiddler plays
All their voices can be heard
Long past their woodland days

Chorus

And so they linked their hands and danced
Round in circles and in rows
And so the journey of the night descends
When all the shades are gone

"A garland gay we bring you here
And at your door we stand

It is a sprout well budded out

The work of our Lord's hand"

Para ver o video, clique na imagem:



segunda-feira, agosto 28, 2006 3 Sensações de Mar

PENSAMENTO IV

Sei que vale a pena.

O Sonho não acabou...
apenas adormeceu
de cansaço.

Agosto/2006



segunda-feira, agosto 21, 2006 0 Sensações de Mar

VERDES ANOS

Hoje caminhei sem destino, com este poema por companhia...
A voz de Dulce Pontes segredava-me os "Verdes Anos"
e então chorei... chorei...
VERDES ANOS
Era o amor
Que chegava e partia
Estarmos os dois
Era um calor, que arrefecia
Sem antes nem depois
Era um segredo
Sem ninguém para ouvir
Eram enganos e era um medo
A morte a rir
Dos nossos verdes anos
Foi o tempo que secou
A flor que ainda não era
Como o outono chegou
No lugar da primavera
No nosso sangue corria
Um vento de sermos sós
Nascia a noite e era dia
E o dia acabava em nós
Pedro Tamen

0 Sensações de Mar

Clarice Lispector

Se tudo existe é porque sou. Mas por que esse mal estar? É porque não estou vivendo do único modo que existe para cada um de se viver e nem sei qual é. Desconfortável. Não me sinto bem. Não sei o que é que há. Mas alguma coisa está errada e dá mal estar. No entanto estou sendo franca e meu jogo é limpo. Abro o jogo. Só não conto os fatos de minha vida: sou secreta por natureza. O que há então? Só sei que não quero a impostura. Recuso-me. Eu me aprofundei mas não acredito em mim porque meu pensamento é inventado.

Clarice Lispector






 
;