quinta-feira, dezembro 28, 2006 6 Sensações de Mar

Confissão de Final de Ano


Apetece-me actualizar o blog, escrevendo uma confissão de final de ano sem nexo, mas no fundo, verdadeiramente sentida.
A loucura apoderou-se de mim e perturba-me com pensamentos vindos do nada. É este estado que me conduz a uma inutilidade doentia.
Dizem-me que sou um génio… sou criativo, perspicaz e enérgico.
Estes elogios transformam-me num egocêntrico, que chega a roçar os limites da estupidez e da incompreensão.
Aprendi a viver um dia de cada vez… sem pressas e desejos inúteis! Aprecio o mais simples, o mais natural, o mais verdadeiro.
Orgulho-me do que vivi, embora hoje alguns caminhos tivessem sido palmilhados de forma diferente. Não porque foram errados, mas porque há outras formas de chegar lá…
Passou mais um ano… foi tudo tão rápido… e tanta coisa ainda ficou por fazer…
Aguardo 2007 com a certeza de que a minha felicidade está a ser edificada em alicerces fortes e inabaláveis…
O AMOR, que no Ser Humano é sempre imortal, enche-me de esperança e felicidade absoluta!

FELIZ 2007 para todos!!


sexta-feira, dezembro 22, 2006 5 Sensações de Mar

Feliz Natal

Para todos aqueles, que como eu, ainda acreditam no espírito desta época, desejo um excelente Natal, com muita Paz, Saúde e Amor!
segunda-feira, dezembro 11, 2006 1 Sensações de Mar

Tristeza

Hoje sinto-me triste...
muito mais triste que
a negra tristeza!

Não quero que o dia amanheça...

Vou ficar assim...
enxugando as lágrimas
no pranto da noite.


sexta-feira, novembro 24, 2006 7 Sensações de Mar

Hoje o Sol

Hoje o Sol brilhou para mim...
contou-me histórias engraçadas
e cantou melodias encantadas!


Hoje o Sol iluminou o meu caminho...
e a felicidade vibrou
em cada raio
que eu toquei.



quarta-feira, novembro 22, 2006 4 Sensações de Mar

Destino?

Observei o destino que me acompanhava.
Sorri-lhe...

mas ele apenas me olhou...
pálido... frio...indiferente.



terça-feira, novembro 14, 2006 7 Sensações de Mar

Dúvidas... dúvidas e dúvidas

Se o amor voltou, tal como sinto, será que o devo aceitar?
As palavras são doces e o coração está guloso de amar...

Mas... e depois?
Não sei se quero...



quinta-feira, novembro 09, 2006 17 Sensações de Mar

Minha Rainha YEMANJÁ

Minha protetora Yemanjá.
Enfermeira dos que sofrem, consoladora dos aflitos, conselheira dos angustiados.
Mãe de todos.
Agradeço de tantas graças que nos concedes.
Indigno-me de tua áurea luminosa.
E rendo-te minha homenagem,rainha das águas.
Que contribui caridade e amor,entre todos os seus filhos.
Eu te agradeço senhora Mãe Yemanjá,por me atender nas horas que recorro a teus poderes divinos graças te dou Yemanjá.
Pelas tuas radiações milagrosas, agradeço, dizendo, obrigado por tua proteção constante que tens proporcionando por nossos irmãos que sofrem.
Curvo-me diante de ti e rogo-me, continue dando proteção a teus devotos.
Que dedicam amor profundo.
Que tua áurea bendita continue protegendo e vibrando bondade.
De paz e saúde sobre aqueles que te ajoelham suplicando aos seus pés.
Dai-nos a tua proteção pura e conforto da alma.
Suplico nesta mensagem porque creio em teu poder imenso assim seja.
Minha mãe querida Yemanjá.

Seus filhos chamam-na e saúdam-na:

“Odo Iyá, a Mãe do rio, ela não volta mais.
Yemanjá, a rainha das águas, que usa roupas cobertas de pérola.”


Ela tem filhos no mundo inteiro.
Yemanjá está em todo lugar onde o mar vem bater-se com suas ondas espumantes.
Seus filhos fazem oferendas para acalmá-la e agradá-la.

Odô Iyá, Yemanjá, Ataramagbá
Ajejê lodô! Ajejê nilê!
“Mãe das águas, Yemanjá, que estendeu-se ao longe na amplidão.
Paz nas águas! Paz na casa!”



sábado, outubro 28, 2006 5 Sensações de Mar

PENSAMENTO EM QUATRO PONTOS

1.

Defino-me com subtilezas inúteis e palavras vãs...

2.

Alegro-me com passadas fortes em caminhos fecundos…

3.

Volvo à terra prometida, onde a Deusa me espera…

4.

Abraço e beijo seres que me contam histórias verdadeiras…

de sonhos e aflições segregadas…



segunda-feira, outubro 16, 2006 9 Sensações de Mar

PARABÉNS

Hoje faço anos.

Antes de esperar que os outros me congratulassem pela passagem de mais um ano (facto por si só, aglutinador de sentimentos depressivos), olhei para o espelho e desejei-me felicidades.

Senti um vazio estranho e constrangedor. Os 29 anos não me pesam absolutamente nada… mas apeteceu-me olhar bem para mim e procurar chegar ao âmago do meu ser.

Re(vivi) derrotas e vitórias… conquistas e perdas… amores e desamores…

Não posso dizer que esteja numa fase feliz da minha vida… tranquilamente, resolvo os problemas que por ignorância ou descuido decidi evocar…

Choro e lamento o que devia ter feito e não fiz… traço caminhos com destinos marcados, em horizontes firmes e belos.

E no fundo, ainda tenho esperança no futuro…

Sou um pássaro… almejo céus deslumbrados, em paisagens verdes e de aromas penetrantes.
Nas águas cristalinas mergulho, numa felicidade voraz e gritante…

Cumpri mais um ano da minha existência entre saltos e quedas desmesuradas, mas eternas…




sábado, outubro 14, 2006 0 Sensações de Mar

AJUDA DE BERÇO

Já que estou na onda da solidariedade, aqui fica mais um site que devem visitar diariamente e clicar no banner respectivo, para que algumas empresas possam ajudar esta prestigiada Instituição.

UM COLO PARA CADA CRIANÇA - AJUDA DE BERÇO



sexta-feira, outubro 06, 2006 3 Sensações de Mar

Solidariedade


Solidariedade é uma palavra bonita, que deve ser posta em prática. Tenho um sonho desde criança, que é o de participar activamente numa campanha humanitária num País africano. Por isso, decidi abrir espaço no meu Blog para divulgar campanhas e projectos.
Inicio com "Raising Malawi". Um interessante projecto com foco no País mais pobre do mundo!

Para conhecer este projecto, clique na imagem.



terça-feira, setembro 19, 2006 2 Sensações de Mar

Uma Música III

Podem pensar que ando com falta de inspiração!
Nada disso... apenas me comovo mais e mais com a beleza das letras e músicas que pertencem ao meu espólio emocional...


GENTE HUMILDE
Letra:Vinícius de Moraes Música: Garoto/Chico Buarque

Tem certos dias
Em que eu penso em minha gente
E sinto assim
Todo o meu peito se apertar
Porque parece
Que acontece de repente
Feito um desejo de eu viver
Sem me notar
Igual a como

Quando eu passo no subúrbio
Eu muito bem
Vindo de trem de algum lugar
E aí me dá
Como uma inveja dessa gente
Que vai em frente
Sem nem ter com quem contar

São casas simples
Com cadeiras na calçada
E na fachada
Escrito em cima que é um lar
Pela varanda
Flores tristes e baldias

Como a alegria
Que não tem onde encostar
E aí me dá uma tristeza

No meu peito
Feito um despeito
De eu não ter como lutar
E eu que não creio

Peço a Deus por minha gente
É gente humilde
Que vontade de chorar




terça-feira, setembro 05, 2006 3 Sensações de Mar

Uma Música II


BALADA DA ESTRADA DO SOL
(André Sardet)
Sigo a estrada que me vai levar ao Sol
Há 7 dias que caminho sem parar
Sou uma criança com licença para sonhar
Leio histórias em sorrisos de embalar
E vou pedir ao Deus do Sol para me adoptar
Perfilhar-me e nunca mais me abandonar
Afinal o Sol também é meu
Quero o raio que só ele me prometeu
Nestra estrada o cansaço não existe
O fim está longe mas o corpo não desiste
Levo nos braços a guitarra para tocar
Tenho por coro a velha Estrela polar

Hoje quero partir por esta estrada... quero tocar o Sol...

quinta-feira, agosto 31, 2006 3 Sensações de Mar

Finalmente...

Não posso mais adiar...

Perderia o rumo à minha vida e mais tarde o arrependimento seria dolorosamente penoso!


No próximo fim de semana vou começar a escrever o meu livro...



quarta-feira, agosto 30, 2006 1 Sensações de Mar

GRUTA DE CORAIS

Se perguntares ao mar por mim, ele irá responder que o seu viajante se encontra na mais funda gruta de corais…

então, irás ver-me na companhia da bonita Sereia, rodopiando por entre Peixes Palhaço e criaturas marinhas encantadas...



terça-feira, agosto 29, 2006 3 Sensações de Mar

Uma Música

Hoje apetece-me colocar uma das minhas músicas preferidas. "Mummer´s Dance" na voz extraordinária de Loreena Mckennitt.

Loreena McKennitt - The mummers' dance

When in the springtime of the year
When the trees are crowned with leaves

When the ash and oak, and the birch and yew

Are dressed in ribbons fair

When owls call the breathless moon
In the blue veil of the night
The shadows of the trees appear
Amidst the lantern light

Chorus:
We've been rambling all the night
And some time of this day
Now returning back again
We bring a garland gay

Who will go down to those shady groves
And summon the shadows there
And tie a ribbon on those sheltering arms
In the springtime of the year

The songs of birds seem to fill the wood
That when the fiddler plays
All their voices can be heard
Long past their woodland days

Chorus

And so they linked their hands and danced
Round in circles and in rows
And so the journey of the night descends
When all the shades are gone

"A garland gay we bring you here
And at your door we stand

It is a sprout well budded out

The work of our Lord's hand"

Para ver o video, clique na imagem:



segunda-feira, agosto 28, 2006 3 Sensações de Mar

PENSAMENTO IV

Sei que vale a pena.

O Sonho não acabou...
apenas adormeceu
de cansaço.

Agosto/2006



segunda-feira, agosto 21, 2006 0 Sensações de Mar

VERDES ANOS

Hoje caminhei sem destino, com este poema por companhia...
A voz de Dulce Pontes segredava-me os "Verdes Anos"
e então chorei... chorei...
VERDES ANOS
Era o amor
Que chegava e partia
Estarmos os dois
Era um calor, que arrefecia
Sem antes nem depois
Era um segredo
Sem ninguém para ouvir
Eram enganos e era um medo
A morte a rir
Dos nossos verdes anos
Foi o tempo que secou
A flor que ainda não era
Como o outono chegou
No lugar da primavera
No nosso sangue corria
Um vento de sermos sós
Nascia a noite e era dia
E o dia acabava em nós
Pedro Tamen

0 Sensações de Mar

Clarice Lispector

Se tudo existe é porque sou. Mas por que esse mal estar? É porque não estou vivendo do único modo que existe para cada um de se viver e nem sei qual é. Desconfortável. Não me sinto bem. Não sei o que é que há. Mas alguma coisa está errada e dá mal estar. No entanto estou sendo franca e meu jogo é limpo. Abro o jogo. Só não conto os fatos de minha vida: sou secreta por natureza. O que há então? Só sei que não quero a impostura. Recuso-me. Eu me aprofundei mas não acredito em mim porque meu pensamento é inventado.

Clarice Lispector






quarta-feira, julho 19, 2006 6 Sensações de Mar

A LUZ...

SERÁ QUE POSSO ENCONTRAR A LUZ AO FUNDO DO TÚNEL?



3 Sensações de Mar

RAIVA

RAIVA
RAIVA
RAIVA
RAIVA

MUITA RAIVA


E uma ânsia imediata de morrer!





quarta-feira, julho 12, 2006 4 Sensações de Mar

PENSAMENTO III

Às vezes penso no mundo e fico triste.
Os abutres acercam-se das almas frágeis e ingerem-nas sofregamente.

Ninguém olha para ninguém e tudo é caos...

A solidão e a revolta invadem-me e magoam-me.

Só nas águas claras da ribeira da minha infância encontro paz... e mergulho então na minha existência, para tentar compreender o mundo.



terça-feira, julho 04, 2006 2 Sensações de Mar

PENSAMENTO II

Passam as horas e a paz tarda...
e na obscuridão do tempo, reconheço o destino que me ludibria.
sexta-feira, junho 16, 2006 5 Sensações de Mar

Saudades de Sophia...

Hoje o dia amanheceu cinzento. Peguei num livro de Sophia de Mello Breyner Andresen e limitei-me a reler aqueles poemas, que me sabem sempre a mistura de néctares celestiais, servidos em fina taça dourada.


Olhei para o céu e exclamei: "Saudades de Sophia!".




Poema

A minha vida é o mar o Abril a rua
O meu interior é uma atenção voltada para fora
O meu viver escuta
A frase que de coisa em coisa silabada
Grava no espaço e no tempo a sua escrita

Não trago Deus em mim mas no mundo o procuro
Sabendo que o real o mostrará

Não tenho explicações
Olho e confronto
E por método é nu meu pensamento

A terra o sol o vento o mar
São a minha biografia e são meu rosto

Por isso não me peçam cartão de identidade
Pois nenhum outro senão o mundo tenho
Não me peçam opiniões nem entrevistas
Não me perguntem datas nem moradas
De tudo quanto vejo me acrescento

E a hora da minha morte aflora lentamente
Cada dia preparada


Sophia de Mello Breyner Andresen



quarta-feira, maio 31, 2006 5 Sensações de Mar

PENSAMENTO I

O meu corpo pede descanso... a mente pede acção... estou numa luta desigual de sentimentos contrários. E no meio deste turbilhão, sei que renasço em cada dia. Precepito-me a tentar compreender os porquês. Em vão!
Mas afinal, talvez não saiba viver de outra forma.
Sou assim.

É assim que eu sou...

Nada mais interessa...



quarta-feira, maio 17, 2006 9 Sensações de Mar

AMANHÃ

Amanhã quando acordar saudarei o sol e a manhã.
Hei-de caminhar por trilhos escondidos, onde só as entidades divinas vagueiam...
Beijarei a flor mais pequena e abraçarei a árvore mais forte e vigorosa.

A água da ribeira, há-de cantar a minha alegria...
O pássaro atrevido fará rimas musicadas pelo vento.

E tudo isto... amanhã...
JÁ AMANHÃ...


segunda-feira, maio 08, 2006 7 Sensações de Mar

CONFISSÃO

No outro dia, um Padre da Igreja Católica, meu amigo, com trinta e poucos anos telefona-me para fazer uma surpreendente confissão.
O meu primeiro pensamento, juro, foi o de constatar que os papéis estavam invertidos... afinal não é ele que ouve em confissão almas sobressaltadas por dores agudas e espantos demoníacos?
A frase fatal parecia não querer sair... "sou gay! Tenho um relacionamento com um rapaz de vinte e seis anos!"
Arrepiei-me todo! Não por falso pudor, mas porque ouvir da boca de um Padre, que afinal também ele se enrola com outra pessoa em momentos de prazer absoluto e proibido, ainda soa a choque... pelo menos para mim, que ainda fui educado (pasme-se), no mais conservador catolicismo.

"Eu amo-o! Não o quero perder... isto é puro AMOR!"

- Mas que amor? E como pode ser puro? E a tua vocação? O Sacerdócio?
Incontáveis perguntas electrificaram-me o cérebro...
- Não te posso responder já... preciso de tempo para reflectir no que me disseste. Quero encontrar respostas... alternativas a esse sofrimento que te devora.

Fiz uma caminhada, li textos Bíblicos, apreciei o pôr do sol e a lua mágica que de noite me iluminava... lembrei a minha meninice e a Freira simpática que me doutrinou. Afinal, ela sempre me falou de um Deus de amor.
Se Deus ama tanto... se Cristo rogou para que nos amássemos uns aos outros, como Ele nos amou, então não podia haver crime pecaminoso nesta relação.
O Amor é o sentimento mais nobre do mundo... é ele que faz girar este planeta na direcção certa (tantas vezes vencido pela guerra, fome, destruição, pobreza...)

Mas e a vocação do meu amigo? Que fazer com o chamamento que ele sentiu quando jovem e que ainda é tão forte?
Pode-se servir a Deus e amar alguém? Mesmo que esse alguém seja do mesmo sexo?

Eu acho que pode...
Há-de haver alguém a latir e a pedir condenação. Já os oiço ao longe, em redor da sacristia:
"Como é que essas mãos conspurcadas ousam abençoar e dar o Corpo Santo do Senhor?"
Mas também oiço Deus, lá do alto:
"Só o Coração limpo Salva! Só o Amor tudo redime!"

AMEN


domingo, abril 30, 2006 3 Sensações de Mar

Algo de momento...

Se eu morresse hoje, queria ser enterrado no mar... as algas seriam aconchego e as criaturas do mar, meus companheiros da eternidade...

quinta-feira, abril 20, 2006 1 Sensações de Mar

TEMPO

O tempo parou em mim. Não sei porque razão, mas o tempo não mais voltou. Os dias que não são dias e os anos que há muito deixaram de ser anos.
O tempo que eu queria ficou lá longe... onde as montanhas dormem e os rios secam...

Escapam-se momentos e morrem vivências...
E o tempo não volta, porque ao possuir-me, deixou para trás os relógios gastos e fantasmagóricos que o mundo ainda ousa ostentar.

terça-feira, abril 11, 2006 4 Sensações de Mar

SONHOS


Sonhos de amar
Sonhos de te ter
Sonhos de partir
Sonhos de sentir
Sonhos de desejar
Sonhos de querer
Sonhos de morrer...

Sonhos e Sonhos...
e tudo me enjoa...
segunda-feira, abril 10, 2006 5 Sensações de Mar

HOJE


Hoje de manhã uma amiga minha perguntou-me porque não cheguei a cantar... é verdade... acordo e deito-me a cantarolar gastas canções que me preenchem a alma.

Mas hoje não me apeteceu... o tempo estava cinzento e os pássaros nas árvores, entoavam estranho silêncio. Fui apanhado por um saudosismo angustiante que me castrou as cordas vocais...

Hoje estou mudo...
Hoje os silêncios é que fluem no meu espírito...
sábado, abril 08, 2006 3 Sensações de Mar

NOITE SOLITÁRIA

Pergunto a mim próprio o porquê de a solidão nos afectar tanto.
Vamos para o fundo e sentimos as nossas forças quebrarem-se com uma agonia brutal!
Parece que nada vale a pena... tudo é vão...

Como desejo que o amanhã chegue, para por fim a esta tempestade de maresia e areia que não encontram praia onde pousar.
3 Sensações de Mar

INICIO

Navego num mar de vida que não conheço...
Em ondas revoltas lanço meu nome

e p´lo barulho das águas estremeço.



 
;